Consciência nenhuma se dá conta, mas todas elas de certa forma estão presas, não numa prisão física, mas uma prisão mental, isto é, a tua carne pode ir até onde ela quiser, mas a tua consciência fica presa num só ponto, isto é, numa só coisa, e não consegue sair daquele ponto, dia e noite ela está presa naquele mesmo ponto. Tipo, uma pessoa pode ter um comércio e a mente dela não sai daquele comércio, é o tempo todo pensando naquele comércio, falando do comércio, e toda a conversa dela se volta para aquele comércio. Tem até um pequeno empresário que deu uma entrevista dizendo que não se importa da esposa dele sair com um amante porque ele não consegue tirar da cabeça a empresa e ficar com ela, porque a cabeça dele era presa na empresa o tempo todo. E nós vemos que isto é comum na humanidade. Uma mulher, por exemplo, pode ser presa num zé tranqueira e ela pode estar rodeada de mil homens, mas não consegue tirar o zé tranqueira da cabeça dela. Isto pode ser com um filho, com a esposa, com o comércio, com o carro, uma casa, um lugar e mais um milhão de coisas.

Paulo disse que as nossas consciências devem ser presas no senhor, pois ele é a nossa vida eterna. Toda consciência é presa naquilo que a identifica, e o que identifica uma consciência é naquilo que ela está presa, isto é, quando falamos o nome de uma pessoa vem logo no que a consciência dela está presa. Por exemplo: quando falamos de Abraão, logo lembramos de Deus. Quando falamos do Pelé, logo lembramos do futebol. Quando falamos da Gisele Bundchen, lembramos de modelo, e assim por diante. Nós identificamos uma consciência naquilo que ela está ligada, e isto é uma prisão mental. Como dito, uma mulher pode até ter mil homens ao lado dela, mas ela não consegue tirar o zé tranqueira da cabeça e isto é uma prisão mental. O zé tranqueira pode traí-la, pode humilha-la diante dos outros, pode trata-la como uma criança e pode fazer o que ele quiser, mas ela está presa a ele pelo hipnotismo. E só quando o próprio zé tranqueira quebra este encantamento, é que a consciência fica livre, mas enquanto a consciência está ligada a ele, fica presa a ele. Uma consciência assim é fácil de se encantar por qualquer coisa, e o pior é que ela despreza até a vida eterna do espírito para ficar com o zé tranqueira. E no caso dos casais, um se prende ao outro por suas doenças mentais, isto é, geralmente o homem prende a mulher pelo ciúme, e a mulher prende o homem pela soberba e o ego, dele achar que é o último biscoito do pacote, e assim um sustenta a doença do outro.

E neste meio, não tem como falarmos do propósito de Deus, pois você está falando da vida eterna para a consciência e a insana está preocupada com o lixinho do banheiro do macho dela, e como tirar uma consciência assim desta prisão mental?

Por O teu espírito diz