Não é o corpo físico que sente os traumas, muito menos o cérebro, mas todos os traumas são sentidos pela consciência. Um animal irracional por exemplo, não sente um perigo que passou, pois ele não tem consciência e é como se não houvesse passado perigo, mas o ser humano sente pela consciência que tem. O trauma é um sentimento forte por algo que alguém passou e aquilo fica guardado dentro da consciência e tudo que se assemelha ao perigo em que a pessoa passou, vem as lembranças das aflições por qual passou, é só algo semelhante acontecer que tudo vem à tona e a consciência fica em estado de alerta, é uma coisa que fica no inconsciente da consciência.

Um trauma pode tirar uma consciência da vida eterna, pois todos os traumas são derivados de algum momento que a carne viveu, portanto todos os traumas estão ligados a carne e mesmo um animal irracional não tendo consciência, ele sempre vai fugir do perigo por instinto, mas ele nunca prevê o perigo por não ter consciência, e por não ter consciência o animal irracional não tem traumas, mas quando uma consciência não raciocina a pessoa se assemelha ao animal irracional fugindo do perigo por instinto, por isso que quanto mais bruta é a pessoa, menos ela tem medo do perigo, mas sempre carrega consigo o medo, o medo do que possa acontecer, porque mesmo sendo irracional, ela tem consciência e carrega em seu subconsciente o medo das coisas, o medo do que elas julgam ser mal. Por isso tem medo de macumba e de coisas inexistentes do além, mas quando uma consciência chega ao conhecimento da verdade pelo raciocínio lógico, ela perde o medo de todas as coisas que não existem e mesmo daquelas coisas que lhe acontecera, que pela possibilidade nunca mais acontecerá de novo, principalmente uma consciência que chegou ao conhecimento do espírito de Deus nela, como Davi que não tinha medo de nada por estar com o senhor dele.

Ele sabia que pelo senhor venceria todas as batalhas, por isso ele disse: disse o Senhor, que é Deus, ao meu senhor, que era o espírito que lhe dava a vida: assenta-te à minha direita até que Eu ponha todos os teus inimigos debaixo de seus pés. E Davi não tinha nenhuma dúvida de vitória com o senhor ao lado dele, por isso muitos libertadores da parte de Deus na época dos juízes iam as batalhas e voltavam vitoriosos, pois iam pelo senhor, como na época de Gideão que o refrão era: pela mão do Senhor e pela mão de Gideão. E quando o senhor falava que não era para ir a uma batalha, eles não iam, pois sabiam que se fossem quebrariam a cara, e esse mesmo senhor está em nós hoje nos dando a vida e jamais uma consciência ligada no senhor tem algum trauma desta vida.

Por O teu espírito diz