Se você fosse Deus, como enxergaria este mundo? Como você se enxergaria como criação, e o que faria para realizar a vontade de quem te criou? Deus, certamente, enxerga tudo isto, Ele enxerga este mundo pelo seu propósito, enxerga você como criação, que é, e espera como todo criador, que você, como criação, funcione para o bem Dele, pois foi para isto que Ele te criou. Por exemplo: o que o Homem espera da sua criação caneta? Logicamente que ela escreva, pois foi para isto que ela foi criada. Outro exemplo: o que o Homem espera da sua criação avião? Logicamente que ele voe, pois foi para isto que ele foi criado.

E nós, quem sabe me dizer o porquê o nosso Criador nos criou? Quem sabe o que produzimos como criação que interessa a Ele? Para que realmente, Deus nos criou? Será que foi para nós fazermos este monte de besteiras que fazemos? Vamos analisar o seguinte, porque Deus criaria um monte de bonecos de barro, para um ficar prejudicando o outro? Isto não teria o menor sentido de lógica, muito menos, nos ressuscitaria na carne, porque se fosse isto não precisaríamos morrer, pois qual a lógica de Deus nos tirar a vida e depois nos ressuscitar novamente como bonecos de barro?

Eu descobri o porquê nós existimos, descobri que nós estamos dentro de um propósito em que há três fases, a saber, a de sêmen que já passamos, a de ser humano em que estamos e a fase espiritual lá a frente que é eterna. É complicado falarmos da razão da vida, porque o ser humano nasce neste mundo, produz a consciência como um fruto natural, e esta consciência está ligada a carne como que por uma haste, que é o sentimento. E desde criança, a consciência já vai se ligando a carne, e conforme ela vai crescendo, este laço com a carne também vai crescendo cada vez mais. E tudo o que a consciência quer e deseja está na carne. Mas lá pelas tantas da vida, ela se depara com o espírito de Deus, e descobre que ele é a vida eterna dela, e que ela deve deixar a carne, que até então construiu a sua vida nela, e deve começar tudo de novo pelo espírito. Mas aí entra vários fatores, e o pior deles são os sentimentos que a consciência criou com a carne.

É o sentimento de pai, de mãe, de filhos, de esposo, de esposa, de amizades, de trabalho, muitos sentimentos pelas coisas materiais, como casa, lugares, carro, moto e até sentimentos por cachorros. Outro problema é que as consciências não veem o espírito por ele habitar outro plano, e neste plano material, não existe nada que possa interessar ao espírito, salvo a própria consciência. Por isso a consciência não tem nenhum sentimento por ele, que até então o desconhecia. Mas mesmo não o vendo, a lei nos diz que devemos criar sentimentos por ele, criar um laço pela vida eterna dela. Saber que esta vida da carne é provisória, que a jogará no vazio eterno e principalmente que está dentro de um propósito, que tem três fases, e que esta fase humana se acabará, e que a vida da consciência continuaria no espírito de Deus é pura sabedoria, mas quem é sábio para entender isto?

Por O teu espírito diz