Riqueza infinda

Não há maior riqueza que a vida. Vida esta que está no espírito de Deus, assentado em nós. Por e através dele, hoje nos movemos, existimos e viveremos eternamente se o inseminarmos e o gestarmos em nossas consciências para o completo nascimento no céu. Não há maior riqueza que a vida! Falo da vida infinda, abundante, plena que advém do espírito de Deus que nos habita. Essa vida do espírito, tem que ser sentida profundamente para ser vivida, pois falar somente sobre ela será inútil se lá no imo não se renascer e transparecer. Não há maior riqueza que a vida! Falo da eterna, lá aninhada junto aos braços do Altíssimo. Nenhum tesouro ou riqueza há que se possa comparar ou exceder o valor da eterna vida, sendo parte constante do corpo do Deus Eterno! Não, não há maior riqueza que a vida que habita minha consciência.
“Importa que ele cresça e que eu diminua!”

Por Loir Xavier

Carreira eterna

Nada do que possamos imaginar
É o que será do outro lado
Cuidado para não fantasiar
A vida não é um conto de fadas

Dons e talentos
Coisa linda de admirar
Aproveite esse momento
Hoje é o tempo de praticar

Aprendemos no efêmero
Sabedoria necessária
Descubra a razão e seu segredo
Amplie sua linha imaginária

Carreira eterna
Não importa como será
Pinte com vida sua tela
Não deixe a história borrar

Use suas habilidades
Cooperando para o bem
Não sujeite às vaidades
Nem tudo nos convém

Reconheça-se no espelho
Para a verdade refletir
No imo ecoa o conselho
Que nos impede de sucumbir

Cada passo na caminhada
Aumenta a expectativa
Até que conclua a jornada
Findando areia movediça

Liberdade da alma
Transposição plena
É chegada a alva
Completude serena

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Maria Lúcia – Martins/RN

Soldado cansado

Verdadeira luta interna
Travada por alma guerreira
Esdrúxula passagem nessa esfera
Até transpassar a fronteira

Os inimigos não são externos
Mas habitam nosso âmago
Espelhar o lado inverso
Desbravar cada canto

Olhar fixo, concentrado
Testa sisuda, seriedade
Momentos de peito apertado
Face irradia serenidade

Soldado cansado
Segura firme a espada na mão
Digno de ser honrado
Corajoso coração

Tantas guerras em campo invisível
Dia e noite sem parar
Cada detalhe perceptível
Alma acordada a velar

Por vezes o pranto rolou
Sentimentos à flor da pele
Sozinho o guerreiro chorou
Frutos do bem que concebe

Consciência indestrutível
Não viemos para fracassar
Sabedoria infalível
Nos ensina a guerrear

Soldado cansado
Segura firme a espada na mão
Digno de ser honrado
Corajoso coração

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Eliézer Rogério – Jaraguá do Sul/SC

Pai cuidador

Inquestionável é a parte do Criador
Que tudo fez sabiamente
Sempre foi e será Pai cuidador
Mas qual a intenção da sua mente?

Devemos fazer nosso papel
Sermos úteis como criação
Rasgar da alma todo véu
Purificar o coração

Descobrir-se como ser
Trilhar a vereda da vida
Desligar-se do que irá fenecer
Plantar a semente infinda

Filho legítimo deve ser gerado
Busque essa compreensão
Não fantasie um reino encantado
É preciso curar a visão

A realidade é nua e crua
Não cabe nela utopia
Revista a alma, não fique nua
Seja amiga da sabedoria

O verdadeiro amor não é um conto
E no erro não se passa a mão
Não fique dormindo no ponto
Os versos pedem atenção

Rever todas ações
Nossos atos e conceitos
Sem usar justificações
Nem culpar outro sujeito

Dentro de todos nós
Há um caminho a ser trilhado
Concentre-se, fique a sós
Saia desse emaranhado

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Márcia Rocher – Apucarana/PR

A música que toca no peito

É aquela que acompanha a harmonia das batidas do coração, que entra no mesmo ritmo da vida, que entra pelos tímpanos e aquece o peito e faz vibrar a alma, deixando todo o corpo trêmulo, os pelos arrepiados, ela nos faz vibrar de emoção, a letra divinal que nos faz refletir e vermos quem somos, o que estamos fazendo neste mundo, como o sonho de Jacó que disse: estou todo trêmulo, Deus está neste lugar e eu não sabia, esta aqui não é outro lugar, senão a casa de Deus e a porta dos céus. Mesmo no inconsciente, Jacó se referia a consciência dele, ele viu uma escada que ligava o céu a Terra e que os anjos de Deus subiam e desciam por ela. Por isso, Jacó ficou todo assombrado, porque até então, ele ignorava isto e esta mesma escada existe dentro de todas as consciências que liga o céu a Terra, é a escada da sabedoria, que os anjos sobem e descem por ela e que no topo desta escada há um trono e o Criador de todas as coisas está sentado sobre ele, com o cetro da justiça nas mãos.

Por isso, a necessidade das consciências pedirem perdão ao Criador Deus, por que todas elas sabem que estão fora de função, pois não recebem o espírito que Deus nos enviou pela vida, ele seria a vida eterna das consciências lá no reino de Deus, mas todas as consciências o rejeitam e levantaram a carne sobre elas e o vindo de Deus ficou ignorado e fizeram pior ainda, pois muitos julgam que este vindo de Deus é Maomé, outros julgam que é Gautama, outros ainda pensam que é Jesus, outros pensam que Deus enviou o Smith, o Kardec, mas todos estão equivocados, pois o vindo de Deus é este espírito que já nos dá a vida, a porção de Deus em nós, é o Deus conosco, o Emanuel, o senhor justiça nossa. É este espírito que nos justifica diante de Deus e não há outro nome no céu ou na Terra dado que nos salva, senão este vindo de Deus que já nos dá a vida, é este que é o Cristo e não Jesus, a consciência de Jesus também foi salva por Cristo, por que se entregou a ele de verdade, a consciência de Jesus viveu na primeira pessoa do espírito de Deus, o que todas as consciências também deveriam fazer, viver na primeira pessoa do espírito e não da carne e este é o único erro das consciências, andarem pela carne e não pelo espírito de Deus.

Por isso, todas as consciências estão em desarmonia com Deus e nenhuma delas tocam a música do céu.

Por O teu espírito diz

Sentimentos

Mar sentido no imo, altera o destino, traça novo caminho, e no fim sobra o vazio. Intertido no quintal corre por entre as flores, seu abissal, raízes de suas dores. Parece inofensivo diante a beleza dos olhos apenas o instinto pesando os ombros seus opróbrios. São laços irreparáveis que trazem o anoitecer eterno, sem lua, paixões imperdoáveis no interno, deixando a alma nua. Entre cinco sentidos perde-se o sentido encadeia-se as correntes invisíveis, ligamento aparentemente compreendido à quem falta discernimento criando laços impossíveis. Vem a hora que deita o pó, quebra a vidraça, não há como juntar seus cacos, restando apenas uma alma estilhaçada. Lembro-me de uma frase clichê, enquanto há vida há esperança. É preciso reconhecer, reverter, concentrar, manter-se em perseverança. Enxergar a ação da vida, que pulsa, que grita, ouvir a voz da sabedoria, juntar-se a aliança partida. Mudar de lado os sentidos, atar-se ao mediador, aquietar seus conflitos, arrancar o espinho da dor, que fere de forma lenta, que traz o ardor do fogo, vê-se caindo em câmera lenta, sem o alimento do bico do corvo.

Por isto é preciso ampliar-se e direcionar seus sentimentos, manter o domínio, apoderar-se, pegar as rédeas do animal sedento, com sede de compreensão tentando mudar seu caminho, o qual foi mapeado no coração, na busca de um tesouro perdido. Há de ter fusão entre o eterno e o coração, espírito e alma, sentimento de eterna duração, tudo já está em sua palma. O livre arbítrio demonstra o exemplo da intenção, tu escolhes o caminho, e em seu fim há de ter com a luz ou ter com a escuridão. O sentimento é haste que liga a consciência a existência, a tua escolha faz parte de uma eternidade em transparência. São teus pés que trilham o caminho e não há como culpar alguém pela má escolha, atente-se e não crie sentimentos vazios, lute, encontre em si tua força.

 

Patricia Campos

Sórdidas

As consciências em geral são extremamente sórdidas. A lei entre si é a de levar vantagem em tudo, por isso faz manobras e mais manobras para sempre se favorecer. Torce e distorce tudo à seu favor não importando-se com os meios, afinal o que importa são os fins. Usa tudo e todos a sua volta, sem escrúpulos ou sinal de arrependimento, importando-se somente com seu próprio umbigo. Inclusive faz de Deus o Criador, o único que deveria ser favorecido, honrado, reverenciado com a realização da razão de estar aqui, uma espécie de gênio da lâmpada, sempre pronto a cumprir com seus desejos. Não busca para conhecê-lo verdadeiramente e obter entendimento sobre sua própria razão de existir. Criou um deus que reverencia sua criatura e está sempre pronto a lhe favorecer carnalmente. E mais, a vida eterna é totalmente garantida, pois tudo já foi consumado. E o propósito de Deus? Perdido, ignorado, não realizado!

Por Loir Xavier

A vida nas mãos

Mãos, órgão do tato, por onde tocamos e sentimos a superfície de todas as coisas. Mãos, quanto já não seguramos por elas?! Uma flor, um espinho, um filho! Através dela expressamos um dom, uma arte, uma saudação, um até breve, um insulto, um falar por meio de gestos, a vida! Pelas mãos também demonstramos nossas escolhas, por isso como forma de expressão, podemos dizer que temos a vida nas mãos e a temos! Bem, verdade é que a vida em nós habita e é manifestada pelo espírito santo de Deus, o verbo que nos permite o existir, bem como o mover e o agir.

Estamos dentro de um propósito, cujo qual é de Deus! Foi posto frente ao Homem dois caminhos: o da vida e o da morte! Está nas mãos de cada um, ou seja, na consciência, que é o órgão do raciocínio, que pensa, forma ideias e determina, a escolha sobre qual destes caminhos trilhar, sabendo de antemão que um culmina na vida eterna junto a Deus, enquanto que o outro será de angústias e tormentos eternos.Toda escolha deve ser baseada em ao menos um mínimo de conhecimento, pois como recusar ou aceitar algo sobre o qual nada sei? Eis porque é importante o buscar, afinal só o conhecimento e o entendimento obtido pelo raciocinar trará a luz de todas as coisas, bem como suas consequências. Em suma, quem em pleno juízo, depois de experimentar o doce sabor da vida que só encontramos no espírito de Deus, recusar-se-á em tomá-la em suas mãos? Muitos, pois preferem o instante ao invés do eterno. A vida nos convida para com e por ela pensar, falar, agir, sentir, viver, somente em nossas mãos está o decidir e o realizar!

Por Loir Xavier

Bálsamo da consciência

Óleo que alivia e cessa toda dor, extraído da árvore da vida, porção de resplendor. É a cura de todos os males que adoecem a consciência, mina por entre os vales sua doce e pura essência. Bom cheiro que exala nas narinas dos viventes, sua falta desce amarga, aperta o peito da gente. Nascente que brota no imo de cada ser, gota que revigora fazendo-nos renascer. Sem dinheiro, sem preço, todos podem se apossar, a verdade é um livro aberto para as almas que querem se libertar. Mas pagam-se muito caro e vão longe atrás dos enganos, vejo tantos encarcerados cultuando o que é profano. Aparência de liberdade e formosura, almas chicoteadas à caminho da sepultura. Óleo da vida, bálsamo da consciência, transborde-nos de sabedoria, paz e paciência.
É tempo de ungir a cabeça, limpar-se de todo mal, seguir a vida e sua sequência tornando-se celestial.

Por Michele Mi 

Pedagogia

Ensino, método, estratégias, assimilação, aprendizagem! Se observarmos com atenção, em tudo está presente a pedagogia, como um agente facilitador em busca de meios que possibilitem a aprendizagem de saberes sistemáticos bem como os casuais, esses que embora considerados corriqueiros, necessitam de certa organização de ideias para a sua assimilação. Sem dúvida que, para adquirir o conhecimento sobre a razão da existência, sobre o propósito ao qual está inserido, há que se ter organização de ideias, método, estratégias, afinal podemos afirmar que primeiro haverá uma desconstrução de saberes vãos para que o real, verdadeiro, lógico e significativo se estabeleça e se acomode na consciência como verdade. Não podemos deixar de lembrar, que todo saber é conduzido de forma que o aprendiz o enxergue e tenha plena ciência do mesmo, não por convencimento ou por falta de coesão em seus pensamentos e incertos conceitos, tornando-se um “Maria vai com as outras”, mas por de fato ver e crer.

Por Loir Xavier