A consciência é como se fosse uma casa, onde há uma porta que pode ser a entrada do céu ou do inferno, depende para quem ela abrirá. As minhas janelas, por exemplo, têm vistas para o céu, pois eu fiz da vida, a moradora da minha casa. Por isso toda a minha casa vive em paz, mas vejo o inferno que é dentro de cada consciência, pois nelas mora a carne, que é provisória e ela atormenta as consciências dia e noite. Elas têm até medo de olhar para fora, tem medo de tudo e isto aprisiona as consciências. Andam de portas e janelas fechadas e não veem a luz do sol, mas todas estão trancafiadas dentro de si mesmas, numa grande penumbra. Tem medo até da própria sombra, como disse um filósofo.

Nós devemos olhar para o espelho que está diante de nós e vermos quem somos de verdade. Deveríamos perder este medo de descobrir as coisas, de quem nos pôs neste mundo e o que Ele quer de nós. Eu descobri que há um ser celestial dentro de nós e ele está a porta e bate. É para este que nós devemos abrir as nossas portas e deixa-lo iluminar os nossos corações, que com certeza vamos descobrir coisas incríveis que já estão dentro de nós mesmos. Vamos limpar as nossas casas das tralhas que o engano deixou. Vamos abrir as nossas janelas para o céu e deixar que o sol entre por elas. Vamos perder o medo do escuro, vamos deixar de imaginar fantasmas e ver que eles não existem. Vamos perder o medo do bicho papão, do velho do rio e do homem do saco.

Vamos ver que o engano não tem poder sobre a verdade, assim como as trevas não tem poder sobre a luz. Quem ronda as nossas casas é a mentira, o engano e o medo, mas quando eles são descobertos, se envergonham e caem fora, e estes nunca mais rondarão as nossas casas dando lugar para a luz, a paz, o amor e a compreensão.
Por certo o senhor fará isto nas nossas consciências, basta abrirmos as portas para ele entrar, ele não é um fantasma, mas é real e verdadeiro. É ele quem já nos dá a vida, e tirará as nossas consciências deste lugar e as transporá ao plano celestial, ele mesmo será a nossa luz perpétua. Vamos abrir as nossas janelas para o céu e deixar a luz do sol entrar, vamos nos conhecer por dentro, pois sei que há muito que nos limpar, pois a noite desta ignorância nos sujou demais.

Por Michele Mi